Dou a palavra…

a SUN TZU. Escrito há 25 séculos, na China, este tratado sobre a guerra é, ainda hoje, uma referência sobre o tema. Este domingo, a Letras num Papel apresenta um excerto do capítulo V, «A Energia», e, se à partida, lhe parecer básico, pense outra vez… A Arte da Guerra.

«Sun Tzu disse:

1

De modo geral, comandar muitas pessoas é o mesmo que comandar algumas. É uma questão de organização.

Chang Yu: Para dirigir um exército, primeiro é preciso confiar as responsabilidades aos generais e aos seus assistentes e fixar os efectivos das diversas formações…

Um homem é um simples soldado; dois homens, formam um par; três, um trio. Um par mais um trio formam um grupo de cinco, ou seja, um esquadrão; dois esquadrões formam uma secção; cinco secções, um pelotão; dois pelotões, uma companhia; duas companhias, um batalhão; dois batalhões, um regimento; dois regimentos, um grupo de combate; dois grupos de combate, uma brigada; duas brigadas, um exército. Cada um destes elementos está subordinado àquele que o precede na hierarquia e tem autoridade sobre aquele que lhe é imediatamente inferior e cada um é convenientemente treinado. Deste modo, é possível dirigir um exército de um milhão de homens como se fosse um punhado de pessoas.»

in TZU, Sun , A Arte da Guerra, Relógio d’Água Editores, 2009

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *